Tabela
Convidado

I.
II.
III.
IV.
V.
O mundo bruxo parece entrar em um novo conflito. As coisas diferiam completamente do que acontecera nas guerras bruxas. Sim, o caos estava começando a se fazer presente outra vez, devido a uma profecia vivenciada por Hermione Jean Granger-Weasley e Harry Tiago Potter. Resta ao mundo conseguir manobrar os problemas e mais uma vez se tornar pacífico, o que parece ser extremamente dificultoso.
ambientação e tramas
Últimos assuntos
» Avisos dos Jogadores
Qua Mar 08, 2017 7:20 am por Hadassa Störmberg

» A Night to Remember
Sex Mar 03, 2017 11:13 pm por Sollaria Vezzini Vause

» Uma dupla de três
Sex Mar 03, 2017 1:44 pm por Alexis Collin Störmberg

» Brotherhood
Qui Mar 02, 2017 11:06 pm por Curtis Bonham Störmberg

» We've Got Tonight
Seg Fev 27, 2017 5:53 pm por Scarlet Vezzini Vause

» Before you start a war, you better know what you're fighting for
Sab Fev 25, 2017 10:48 pm por Katherine Hartmann

» Village - Londrês
Dom Fev 19, 2017 6:01 pm por Dante Strider Rolstroy

» Flood 1.0
Sab Fev 18, 2017 6:04 am por Fernanda Nogueira

» Testes Gráficos
Seg Fev 13, 2017 7:53 am por Bess Louise Vengeance

Parceiros
Parceiros (01/40)
:: Topsites Zonkos - [Zks] ::
Parceiros Elite (00/05)
Gráficos (00/10)

Before you start a war, you better know what you're fighting for

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Katherine Hartmann em Qui Fev 02, 2017 5:23 pm
Before you start a war, you better know what you're fighting for


Era [noite] de [Janeiro] e [Katherine] estava indo encontrar [Thomas] na [cobertura dele].








Well baby, you are all that I adore





Chegou em casa na maior velocidade que podia a conversa com Curtis ainda a deixou emotiva, mas não tinha tempo, tomou um banho rápido, enquanto pensava no que vestir, a cada 5 minutos que passava, ela tinha que ser relembrada que teria que terminar o que raios seja aquilo, mas então lembrava que para poder terminar com ele teria que chegar lá e não podia ir apenas com seu roupão. Odiava aquilo, nunca foi de encontros, nunca foi de sair, não tinha roupas bonitas o suficiente para qualquer situação, aquilo era o inferno na terra, estava quase desesperada quando escutou um barulho na sala e foi imediatamente ver o que era, se fosse um  filme de terror seria a típica cena de um dos assassinatos, mas bem ela vivia o terror, mas se deparou com nada menos que Karitza - O que raios você está fazendo aqui? - perguntou um pouco assustada, mas sorrindo logo em seguida - Eu tive um pequeno contratempo no caminho, no caso Curtis, meu chefe, descobriu tudo sobre nós - disse jogando uma taça de vinho para a mulher ela iria precisar, ficou um pouco confusa e agitada e Katherine teve que explicar tudo. Depois de uma longa, mentira ela estava sem tempo, uma rápida conversa conseguiu se acostumar com a ideia de que talvez Curtis não fosse um problema mas uma oportunidade para ajudá-las - Bem, eu preciso ir para a casa do Thomas hoje - ainda bem que já tiveram as brigas sobre aquele relacionamento então os diálogos poderiam ser rápido - Antes de mais nada, eu gosto dele ok? E eu sei dos riscos por isso eu preciso terminar com ele - disse um pouco irritada- Mas eu ainda não tenho como ir - Disse incomodada notando que a amiga pensou em tudo e tinha levado um vestido para ela - O que é isso? - disse rindo e a escutou falar sobre como podia não gostar  da relação mas a queria feliz aquilo era muito importante, Karitza era a única imagem que tinha de afeto e amizade em sua vida.

Vestiu a roupa, ajeitando o cabelo, se olhando no espelho, e pela primeira vez em anos gostava do que via, uma mulher animada para um encontro e que ainda tinha a aprovação da amiga, aquilo significava muito, mas por que ela resolveu aprovar aquilo justo no dia que ela tinha decidido terminar? Apenas deixou a mulher mais confusa  - Então como eu estou? - perguntou animada com um sorriso, estava animada para vê-lo, mesmo que por uma última vez - Well, vou pensar sobre isso mas acho mais seguro para ele se parar de ficar comigo - disse saindo pela porta e se dirigindo para a rua que ele morava um apartamento muito bonito, chique, ele tinha uma vida cheia de conquistas ele merecia. O tempo estava agradável para Londres, o que significava que ela saiu com um sobretudo por cima do vestido que usava, andava respirando fundo estava mais nervosa do que qualquer conversa que era obrigada a ter com Lana ou Oziel. Mas respirou ajeitando a roupa e entrando no Hall do prédio, o porteiro já sabia que Thomas a aguardava o que a deixou um pouco feliz e ansiosa, deu boa noite.

Entrou no elevador nervosa, tremia um pouco era como se a realidade tivesse dado um cara dela, andava pelo corredor nervosa, chegou na porta e se afastou um pouco, ficou nessa de “toca ou não toca” por um tempo, até que desistiu e quando estava para andar de volta para o elevador notou a porta abrindo, o que a fez tomar um susto com o comentário dele - Eu estava nervosa admito - falou um pouco envergonhada segurando a mão que ele tinha esticado para ela - Desculpa - disse com um leve riso, ele estava tão bonito era incrível como ela se sentia tão bem perto dele.

Aceitou o convite de entrar, o lugar era enorme, para começar era uma cobertura então já dava para ter uma ideia de onde ele morava - Lugar incrível - disse sem graça observando os cantos seguindo para a sala de acordo como ele guiava - Desculpa a demora, acabei resolvendo umas questões, que por incrível que pareça, eram da minha família - disse, odiava mentir para ele, mas não era como se não estivesse vivendo uma mentira, ainda estava um pouco afetada com a noite maluca que estava tendo. Se aproximou dele, com o braço dele em volta dela dando um leve beijo - Estou tão feliz por não ter ido embora- dizia sorrindo após afastar os lábios de leve o encarando, era incrível como ele a fazia sorrir por qualquer motivo besta, ela tinha tanta sorte por tê-lo encontrado - Então você que preparou o jantar hoje - disse reflexiva - Significa que meu marido de mentira sabe cozinhar, sou uma mulher de sorte - disse brincando - Eu acho que nunca vou esquecer daquele dia, eu abro meus olhos e a única coisa que escuto é a médica te chamando de Marido, eu admito, eu fiquei tão confusa - eles dois riram um pouco, ela amava aquela história, tomou um susto mas estava tão passada com tantos remédios e dores que não teve força para falar nada, até escutá-lo se explicar - Você sabia que Curtis ficou com a cunhada dele por engano? - ela olhou para ele rindo e perguntando, não fazia mal algum Alexis que tinha contado, a mulher estava possessa e bem com motivos, ainda mais dos detalhes que ela escutou do auror agora pouco.






Word: | Tags: | Note:



Thanks Diih!


Katherine Hartmann
Aurores
Galeões : 1851

avatar
Aurores

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Thomas Ellsworth em Sex Fev 03, 2017 2:30 pm
My world is you
1025 words for everybody



Thomas olhou o relógio mágico em seu pulso e quase soltou um xingamento alto no meio do átrio do Ministério da Magia, que estava povoado somente por alguns outros aurores e por um pessoal da imprensa que estava indo embora. Estava atrasado para chegar em casa, havia convidado Katherine para um jantar e nem mesmo tinha comprado nada para fazer o mesmo. Ao que tudo indicava, teria que improvisar. Quando estava perto das lareiras da rede de flu, a pressão começou a se modificar ao redor do auror, sua visão começou a ficar distorcida assim como todo o áudio que seus tímpanos estavam recebendo. Pensou no beco deserto que tinha não muito longe de seu apartamento, aparatando logo em seguida, deixando um som característico para trás. Com um estampido os pés do Ellsworth tocaram no chão em tempo de ver um carro passando na rua principal, porém nem mesmo perceberam que ele havia acabado de aparecer do nada. Saiu do beco se direcionando a um alto prédio cinza totalmente iluminado, olhando para cima e avistando seu apartamento mesmo de tão longe. Abriu a porta do hall e deu de cara com o porteiro, que o cumprimentou. O bruxo chegou perto do mesmo, dando um sorriso cativante com os olhos semicerrados.

– Stewart, irei receber uma visita muito especial, então pode a deixar entrar sem maiores perguntas. Obrigado. – Agradeceu enquanto olhava para o homem, ouvindo atentamente a sua indagação sobre como ele reconheceria a visita que o Ellsworth receberia. – Ah, meu caro, você vai a reconhecer quando chegar aqui. É a mulher mais bonita que vai ver essa noite. – Respondeu enquanto estava se direcionando para o elevador, rindo um pouco mais alto que o normal e acenando com a cabeça para o porteiro que também mantinha um sorriso no rosto. Pensar em Katherine e no encontro que os dois teriam a não muitas horas dali para frente fazia com que qualquer preocupação acerca dos problemas que estavam acontecendo no Ministério irem embora. Estava preocupado com todas as crianças desaparecidas e também com o recente desaparecimento da ministra, porém não tinha mais ideias do que poderia ter acontecido e uma noite de folga, mesmo que somente uma, já iria lhe fazer um bem gigantesco. Thomas tomou um banho um pouco demorado, tentando tirar todo o cansaço que ele poderia ter. Vestiu uma roupa mais casual enquanto procurava em sua geladeira alguns ingredientes mais básicos para fazer um jantar pelo menos um pouco digno.

Estava quase tudo pronto, só faltava algumas coisas que não iriam demorar para ficarem comestíveis, agora o homem esperava somente que Kath chegasse ali. Foi aí então que ouviu uma movimentação incomum na porta, vendo uma sombra por baixo da mesma chegar e começar a ir embora. Ele rapidamente se apressou e abriu a porta de seu apartamento, constatando que a mulher parecia estar indo embora. – Não sabia que Katherine Hartmann ficaria nervosa a ponto de ir embora pelo simples convite de jantar comigo em casa... – Um pequeno sorriso surgiu em sua boca, sua mão se ergueu para que ela pudesse a pegar. – Vamos, não seja boba. – Reparou o quão bonita ela estava aquela noite, assim como em todas as outras noites e dias que ele já tinha a visto. Os olhos do bruxo sempre brilhavam quando a via, um fenômeno que nunca foi constatado com suas antigas paixões. Fechou a porta quando os dois entraram, ambos se direcionando para a cozinha. Ouviu o comentário sobre seu apartamento, dando um pequeno sorriso e ficando em partes sem graça com o elogio. – Obrigado. – Agradeceu ainda sem saber o que falar sobre isso, ficava assim todas as vezes que alguém dizia aquelas exatas palavras.

Ouviu a desculpa do atraso da mulher e a olhou por alguns segundos, antes de verificar as panelas. – É realmente uma incrível surpresa você resolver algo da sua família, raramente fala nela. – Não olhou para a moça e naquele momento não queria olhar, porque se não acabariam por começar a falar sobre algo que não era o foco aquele dia. Quando se virou ela já estava próximo o suficiente dele, Thomas a abraçou e os dois partilharam um leve beijo e continuaram abraçados mesmo depois dele ter acabado. O homem sorriu ao comentário dela, fazendo com que seus rostos ficassem um pouco mais próximos. – Eu também. – Foi a única coisa que conseguiu pensar, entorpecido pela proximidade que estavam e pelo momento romântico. A soltou quando a mesma começou a contar a história sobre o hospital, mais precisamente quando o auror teve que se passar como marido dela. Riu audivelmente, logo depois falando. – Eu lembro o quão confusa você ficou, mas aquele era o único jeito que eu tinha para te ver, a médica não estava facilitando nem um pouco. – Parou, fazendo contato visual com a mesma e rindo levemente, seu coração pulando várias batidas quando se lembrava daquela experiência.

O Caso Alessia, como Thomas apelidou depois que o ouviu pela primeira vez. Ainda não teve a oportunidade de fazer gozação com Curtis sobre o evento, mas sabia que esse dia chegaria mais cedo ou mais tarde. Ele riu um pouco. – É, Curtis me disse com alguns detalhes, mesmo que ele quisesse que o assunto acabasse o mais rápido possível. – Se lembrou do quão veloz ele foi para contar toda aquela história, o sorriso do bruxo aumentou ainda mais com essa lembrança. – Espero que você não tenha uma irmã gêmea que eu não sei sobre, não quero dar munição para que Curtis também comece a me atormentar. – Brincou enquanto apagava as chamas do fogão, sacando sua varinha e fazendo um longe gesto em direção a vários utensílios que estavam espalhados pela bancada. Todos saíram voando em direção a mesa, jogando gentilmente comida em travessas e depositando colheres para que pudessem se servir. – Não é um jantar muito elegante ou sofisticado, me desculpe por isso. – Parou próximo da mulher. – Me atrasei muito no ministério, não tive tempo de comprar muita coisa. – Olhou para a mesa e depois para ela. – Espero que esteja com fome, entretanto. – Finalizou com um sorriso, se lembrando que aquele jantar tinha um porque muito importante que seria revelado mais à frente.
Thomas Ellsworth
Chefe Auror
Galeões : 1838

avatar
Chefe Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Katherine Hartmann em Sex Fev 03, 2017 5:30 pm





Well baby, you are all that I adore





Família era um assunto peculiar, que ela não gostava de falar pois não tinha o que falar, quando não estava em Durmstrang estava em qualquer sede da Irmandade treinando, ela não conhecia direito os Hartmann, quer dizer, não tinha nada contra eles, cuidaram dela também no pouco tempo que tinham, não ligada mas era grata não era culpa deles o que aconteceu com ela e isso ela sabia se distanciar. Às vezes visitava os “pais”, a mãe a ensinou tocar piano, falar outros idiomas, como não podiam conversar sobre a Irmandade, eles eram mais do que coagidos pela longa história dos Hartmanns a estar daquele lado. Beatrice e Leon foram ótimas pessoas, mas, desde que tentou fugir evitou contato para não colocá-los em perigo, sabia que Beatrice carecia de saúde, ela já era uma mulher de idade- Acredite, quando eu falo que não tenha nada de muito interessante para falar dela, nunca fomos nada tradicionais, ou unidos, como famílias deveriam ser -  dizia mantendo a seriedade, ela nem saberia por onde começar a contar, tem duas famílias distintas em sua mente - Mas não era nada demais, fui conversar com Bia apenas - esquecia que ele não sabia nomes de ninguém então ele jamais entenderia quem sera Bia.

O riso compartilhado com a história era ótimo - Ninguém nunca cometeu perjúrio por mim - disse no meio das risadas de forma abafada, o olhou por um tempo, não sabia mais os motivos pelo qual queria ter ido embora, ou os medos que a assombravam, ficar com ele era mais do que suficiente para ela se sentir feliz e aquele sentimento era algo raro que ela ainda não sabia lidar com, sorriu o encarando aqueles pequenos momentos no meio de tanta confusão, era o que faziam que estar viva compensasse, não sabia como viveu tanto tempo sem saber partilhá-lo, nunca tinha sentido aquilo com ninguém  - Por favor, eu ainda não tive a oportunidade também, mas Alexis não está nada feliz com esse caso - riu junto a ele escutando-o falar sobre uma irmã gêmea, se ela existisse ela com certeza estaria melhor que ela - Não, sinto muito você terá apenas que lidar comigo, única e exclusivamente, acho que só isso já é munição para ele te atormentar - dizia enquanto o observava arrumando as coisas.

Como assim ficou no Ministério? Eu poderia ter ficado e te ajudado, porque não me falou antes de eu ir embora? - ele estava de costas mas ela o fitava, ela sempre ficava até tarde não teria problema, e pensando melhor, teria evitado  Curtis . Katherine apenas observou a cena a sua frente, as coisas sendo arrumadas, achava divertido se posicionando em frente a mesa -Então Thomas Ellsworth sabe cozinhar, ou é apenas para me impressionar? - disse usando um tom divertido na frase - Tenho certeza que está perfeito - disse o encarando, mas olhando a mesa servida, ia se sentar mas antes lembrou de algo virando-se novamente para ele - Ah, saiba de uma coisa, eu não sei cozinhar espero que isso não seja um grande problema para você - falava em um tom de brincadeira  sentando no local indicado por ele. Aceitou o vinho que ele servia o escutando falar sobre o brinde, sorrindo, novamente, ela era uma mulher de sorte, pelo fato de tê-lo encontrado e disso ela sabia muito bem, - Você tinha perguntado de Bia, Beatrice Hartmann, é minha mãe - disse engolindo um pouco a bebida - Ela está com um problema de memória, mas ela já é mais velha mesmo, nada demais, eu tive que levar uns documentos para meu pai Leon Hartmann - sentiu o toque da mão dele na dela, abrindo um leve sorriso - Nunca fomos próximos, meus pais e eu, passei boa parte da minha vida na escola ou em cursos ou com meu tio - lembrava da desculpa de Oziel para Thomas caso ele aparecesse no hospital - Ele não é uma pessoa muito boa, durona, passava a maior parte do tempo me ensinando a duelar, fazer poções, nada de interessante mesmo, poucas memórias eu tenho com minha mãe e a maioria envolve eventos sociais, minha formatura em Durmstrang ou as aulas de piano e outros idiomas que ela me dava - abriu um sorriso - Mas e você, qual a sua história? E antes que eu me esqueça está tudo muito perfeito, você é incrível - segurou a mão dele enquanto falava, vestia um sorriso calmo, enquanto comia a janta servida, trocando olhares com ele enquanto ele falava.









Word: | Tags: | Note:



Thanks Diih!


Katherine Hartmann
Aurores
Galeões : 1851

avatar
Aurores

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Thomas Ellsworth em Dom Fev 12, 2017 4:31 pm
My world is you
835 words for Katherine



– Eu esqueci de perguntar, mas quem é essa Bia? – Disse com uma voz calma enquanto estava se direcionando para a mesa, Katherine estava as suas costas. Realmente não sabia quem era aquela mulher ou qual o relacionamento dela com a auror, por isso a pergunta. Thomas conhecia muito pouco sobre a família da moça, mas não se importava muito com aquilo, afinal, ele também quase não falava nada sobre a sua em si. A resposta para sua pergunta, entretanto, não chegou naquele momento, foi esquecida quando o mesmo citou algo sobre o ministério e a Hartmann o encheu de perguntas. – Por mais que eu ame sua companhia, não tinha motivos para você ficar ainda mais estressada me ajudando a lidar com o pessoal do ministério. – Comentou, parando por alguns segundos. – Por isso não disse nada para você, nem para ninguém no quartel general. – O Ellsworth sabia que devido os sequestros dos estudantes em Hogwarts, juntamente com o desaparecimento da Ministra da Magia, uma grande responsabilidade se adicionou a que os aurores já possuíam, fazendo com que todos ficassem extremamente estressados com qualquer coisa e isso não era algo nem um pouco bom. Por isso, não queria os chatear ainda mais com partes burocráticas.

Ouviu a frase sobre ele saber cozinhar, mas sabia que era somente provocação da parte de Katherine. Olhou para a moça com os olhos semicerrados, um pequeno sorriso no canto da boca. Levantou as sobrancelhas duas vezes, dando o melhor e mais engraçado olhar sedutor, rindo logo em seguida. Sentou-se, indicando com a mão o lugar que seu amor deveria sentar, logo em frente ao mesmo. – Ah claro, você não sabe cozinhar, uma pena... – Parou por alguns segundos, fazendo uma expressão de profunda tristeza por aquele fato. – Vamos ter que terminar o relacionamento, me desculpe. – Manteve a expressão por mais alguns segundos até que ela começou a se desfazer, se tornando e um sorriso que virou uma risada. Thomas não era muito de brincar daquele jeito, pelo menos não enquanto estava sóbrio, mas não conseguiu se aguentar naquele momento. Os talheres já estavam quietos nos lugares definidos e a comida já estava muito bem-posta na mesa, mesmo sendo algo extremamente simples. O auror colocou a varinha em cima da mesa e pegou a garrafa de vinho que estava aberta, colocando o líquido nas duas taças que estavam ali. Pegou a sua, levantando-a um pouco enquanto encavara a mulher. – Um brinde a essa noite que quase não aconteceu! – Sorriu, batendo as taças e posteriormente tomando um pequeno gole.

Já havia se servido e estava colocando a primeira garfada na boca quando ouviu a resposta para a sua pergunta inicial, ouvindo atentamente tudo o que Katherine estava a dizer. Quando as informações sobre a mãe foram interpretadas pelo cérebro do homem, instintivamente ele pegou na mão da auror, apertando suavemente. Não sabia realmente porque tinha feito isso, talvez por imaginar como seria começar a perder a memória ou talvez imaginar sua mãe no lugar da dela. Realmente uma incógnita. Thomas percebeu que nunca tinha ouvido tanto sobre a família de Katherine como naquele momento, parecia que ela finalmente estava à vontade o suficiente ao seu lado para compartilhar coisas mais intimas, isso fez com que ele desse um leve sorriso, seu corpo se enchendo de felicidade. Naquele momento ele também começou a entender porque ela mais reservada. “Qualquer um se tornaria assim depois de todos os treinamentos que ela recebeu” Pensou, logo ouvindo a pergunta dirigida a ele, além do elogio.

– Muito obrigado, pense que fiz isso tudo só para você. – A taça de vinho estava na sua mão, enquanto um olhar cativante era direcionado à mulher a sua frente. Thomas não sabia realmente como começar a falar da sua história, não devido a não existir nada de interessante, mas sim por existir muitas coisas extremamente insanas que ele já fez, principalmente enquanto ainda estava em Hogwarts. – Bem, quando eu era mais novo eu era muito ligado aos meus pais, porém hoje em dia não é muito assim. – Parou por alguns segundos, tentando escolher bem as palavras. – Era muito ligado porque cuidava da loja de artigos esportivos da família, no Beco Diagonal, então querendo ou não tínhamos que ficar juntos. Minha mãe, Rose, vai adorar te conhecer um dia, ela sempre admira pessoas com presença. – Deu um sorriso, logo completando. – Mas não vamos apressar as coisas, principalmente por meu pai, Angus, vai te encher de perguntas desnecessárias e tenho quase certeza que Kyle e Amanda, meus irmãos mais novos, vão te atazanar o dia inteiro. – Riu ainda mais, bebendo um gole do vinho. Continuou encarando Katherine, continuando com o relato de sua história. – Enfim, resumindo a história: eu nunca gostei muito da loja, então procurei outros trabalhos e foi ainda em Hogwarts que descobri sobre os aurores e daí surgiu a obsessão por me tornar um deles. Fim. – Finalizou, acariciando com o polegar a mão da moça. – Espero que não vá embora depois dessa história quase decepcionante. – Brincou, comendo mais uma garfada.
Thomas Ellsworth
Chefe Auror
Galeões : 1838

avatar
Chefe Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Katherine Hartmann em Dom Fev 12, 2017 8:06 pm





Well baby, you are all that I adore





“essa noite que quase não aconteceu” aquelas palavras sinceras e divertidas envolvia os pensamentos da mulher, de fato, que noite estava sendo, primeiro seu “momento” com Curtis, cujo qual não saberia explicar, mas pela primeira vez em anos, ambos, conversaram normal, sem ela querer matá-lo, quer dizer, no final da conversa isso se acalmou pois no início ambos estavam agressivos demais para pensar em algo mais pacífico. Sem contar no problema que Kartiza a tinha informado, os comensais estavam cada vez próximos de descobrir dela, e de suspeitar de alguma traição, a ideia de vender Curtis era para ela voltar nas boas graças do Lord e tudo isso apenas se agravou com a ideia de que ela tinha que ir para aquele encontro e agir como se tudo tivesse bem! Mas, como sempre, o simples fato de estar com ele fazia tudo de ruim sumir, ela mudava, se tornava essa pessoa alegre, divertida, ousada e sorridente, uma pessoa que Katherine nunca conheceu e estava cada vez mais ansiosa para.

Continuou a tomar o vinho, prestando atenção na história que ele falava, era incrível que por mais que ele tratasse o assunto de forma negligente ou de mera importância para ela era como se ela escutasse sobre informações a respeito do Lord, tudo sobre Thomas a deixava intrigada, interessada e animada, por mais que ele contasse que simplesmente acordou e não fez nada em algum dia ela estaria interessada, era o efeito que ele tinha nela. Matinha um sorriso firme, com uma das mãos apoiadas em seu rosto mantendo a atenção fixada nas palavras por ele proferidas, até que escutou a seguinte “Minha mãe, Rose, vai adorar te conhecer um dia, ela sempre admira pessoas com presença”, foi impossível não arregalar os olhos quase engasgando com o vinho que bebia continuando a escutar falar sobre o pai que a iria encher de perguntas e dois irmãos que iriam atazana-la, a simples ideia de ser apresentada aos pais dele a todo a família a deixou muito nervosa, ela nunca fora apresentada a ninguém, as pessoas não gostavam dela gratuitamente, e ainda mais, ela não sabia nada de como eles estavam para citar aquilo. Por exemplo, ela nunca pensou na hipótese dele conhecer a família dela, ele nem poderia, chamaria atenção da Irmandade e a ideia de Lana se divertir com Thomas a deixava enjoada.

Era evidente a mudança nela, o nervosismo, o suar frio, o engolir mais difícil da bebida o encarar dos olhos dele e a sensação de medo que corria em seu sangue, ela tinha que se controlar mas aquela ideia simplesmente não saia da cabeça dela, respirou um pouco o encarando - Sua história não é deprimente, pelo contrário é estimulante e só mostra o como você é o tipo de pessoa que quando quer vai atrás - se limitou em falar pouco, comendo um pouco, deixando o clima ainda um pouco tenso, o silêncio permaneceu um pouco, até que ela, bem devia falar algo ela sabia - Então você acha que eu tenho presença? - falou um pouco nervosa ainda, lembrando e o escutando responder, bem ela não estava negando ou tentando esconder que tinha algo que a deixou naquele estado e Thomas percebeu, como qualquer um perceberia o que a deixou bem sem graça o escutando falar - Thomas…. - ela disse com pesar na voz - Eu não acho que eu seja o tipo de pessoa que você gostaria de apresentar a sua família e eu nem sabia que você pensava nisso - o ar melancólico e tristonho percorria suas falas - Por mais que você mesmo tenha dito sobre não apressar as coisas, eu agora não consigo parar de pensar nesse “futuro” e ele me assusta - segurou a mão dele - Eu só não acho que eu seja a pessoa certa para esse futuro que você falou, a pessoa certa para seus irmãos atazanarem e tal - seus olhos se encheram de lágrimas, de verdade, algo que ela não estava acostumada e logo a deixou mais assustada, ela sabia que tinha dito a Curtis que o melhor seria terminar, mas ela nunca imaginou que o motivo seria outro do que a vida dele em perigo e sim por que ele jamais a aceitaria como ela é, pois afinal, quem aceitaria?









Word: | Tags: | Note:



Thanks Diih!


Katherine Hartmann
Aurores
Galeões : 1851

avatar
Aurores

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Thomas Ellsworth em Sab Fev 25, 2017 1:46 pm
My world is you
699 words for Katherine



Levantou a taça levemente e deu um pequeno sorriso quando ouviu a frase dela sobre ser uma pessoa que sempre consegue o que quer, Thomas realmente poderia ser considerado assim. Conseguiu sair dos negócios da família e se tornar Chefe dos Aurores, não era um feito assim tão fácil, mas com dedicação e paciência ele conseguiu chegar onde estava. Estava mastigando a comida quando uma pergunta foi direcionada a ele, a engoliu lentamente enquanto sua expressão se alterava para uma mais leve e divertida. – Oh, eu tenho certeza. – Parou por alguns segundos, logo continuando. – Você chegou no quartel general usando salto alto, um óculos escuro e com uma pose de “please, bitch, I’m awesome”. Todos notaram sua presença, isso foi inevitável. – Soltou um pequeno riso, bebendo um gole do vinho logo depois. Thomas percebeu que a Hartmann já não estava mais com um estado de espírito alegre igual há minutos atrás, como antes dele tocar no assunto da família. – Katherine... – A chamou pelo nome, sua expressão agora estava um pouco mais séria. – O que há de errado? – Seus olhos focaram-se nos dela, o auror tinha uma leve ideia do porque ela estar daquele jeito, talvez a brincadeira sobre sua família tenha sido algo intenso demais para ser falado no começo de uma relação.

Ouviu atentamente às frases da mulher, dizendo que ela não seria a pessoa ideal para que fosse apresentada para os pais do homem. – Isso não foi um con... – “vite para conhecer meus pais.” Sua fala foi cortada quando ela voltou a falar, dessa vez apontando que o futuro entre os dois era assustador e que ela não tinha certeza se um futuro com ela seria algo adequado. Quando ouviu a última palavra sendo dita, Thomas colocou a taça de vinho na mesa e levantou uma das mãos em sinal de pare, a outra que estava entrelaçada a da bruxa se soltou e veio para próximo do corpo. – Eu vou ter que te interromper agora. – Estava sério e até mesmo um pouco ofendido por ela, mesmo depois de todas aquelas semanas que estavam passando juntos, não se considerar digna. – Katherine, eu já estive apaixonado por outras pessoas antes de começarmos esse relacionamento, mas eu não conseguia sentir anteriormente nem um terço do que sinto por você nesse exato momento. – Parou, tornou a segurar a mão da moça, a acariciando levemente, não quebrando contato visual que tinha firmado quando começou a falar. – Tudo isso pode ser complicado e confesso que é, mas não é nenhum motivo para você achar que eu não mereço um futuro com você ou vice e versa, por mais terrivelmente assustador que possa ser. – Parou por alguns minutos, somente a encarando.

Não sabia se aquele era realmente o melhor momento para o que estava planejando, mas ele não viu outro melhor vindo no horizonte, então decidiu colocar seu plano em ação. Já tinha dias que estava pensando na melhor maneira de mostrar para a morena o quanto ele estava apreciando a vida com ela, mesmo que na surdina, e quando finalmente pensou em algo, achou que talvez não seria algo extremamente normal. Thomas soltou novamente a mão da mulher, essa mesma mão entrando em seu bolso e tirando de lá um pedaço de metal. – Para mostrar que não tenho medo do nosso futuro juntos, eu quero te dar isso. – Abriu a mão vagarosamente, mostrando uma chave simples, mas que encaixaria perfeitamente na porta de entrada do apartamento em que estavam. – É a chave para o meu apartamento. – Parou por alguns instantes, um modesto sorriso aparecendo em seus lábios. – Eu ficaria feliz se você morasse comigo e que todo esse medo que você tem, fosse embora, porque eu quero que esse relacionamento dure por um longo tempo. – O sorriso aumentava a cada segundo que passava, o contato visual ainda se mantendo.  – Além disso, esse apartamento é grande demais para só uma pessoa. – Brincou, segurando a mão da moça.

Começar a morar junto com Katherine seria um dos maiores passos que já deu na vida e com total certeza seria o maior em sua vida amorosa, e ele tinha certeza de que nunca se arrependeria de acordar todos os dias vendo a mulher ao seu lado.
Thomas Ellsworth
Chefe Auror
Galeões : 1838

avatar
Chefe Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Katherine Hartmann em Sab Fev 25, 2017 10:48 pm





Well baby, you are all that I adore





Ela apenas o encarou, com o gesto de parar de falar,  prestando atenção nele, seu coração estava a mil, ainda mais com o que ele falava, ela sabia que tinha uma missão ali e tinha que se manter firme e forte, era o melhor fazer, terminar e ir embora e dormir sabendo que ele estaria a salvo por estar longe dela. Mas, ele tinha algo, uma magia diferente sobre ela que conseguia deixá-la sem palavras e reações, conseguia fazê-la esquecer de tudo que pensava ou planejava, conseguia a deixá-la boba e simplesmente apaixonada. Seu corpo arrepiou por completo com o toque seu rosto saiu do sério, para o neutro, para a típica cara de quem estava admirada com as palavras escutada e ao mesmo tempo assustada por ouvi-las. Engoliu a seco, ele não fazia a menor ideia do quão assustador era, ela passava por todos os cenários possíveis, e tinha em sua cabeça todos os motivos para continuar firme com sua decisão. Com o soltar da mão dele, Katherine abaixou o rosto, respirando fundo, ela ponderava o que fazer, quando encarou novamente o gesto dele, observando-o segurar uma chave e ela apenas sem entender nada, arqueou uma das sobrancelhas observando o objeto, segurou apenas tentando entender o que ele queria com isso, até que ele continuou falando.

Se não se conhecesse bem diria que a pressão tinha acabado de cair com a fala dele, sentiu seu corpo entra em choque com a fala, sentia a cor de seu corpo sumir, não era nada daquilo que ela tinha planejado, mas era impossível não abrir um sorriso, depois de tudo aquilo, Thomas devia ser louco, afinal, eles não se conheciam muito, estavam juntos apenas algumas poucas semanas e ele queria que ela morasse com ele?! Se pegou observando o local, ainda com o sorriso no rosto, por um momento ela começou imaginar como seria morar ali, o apartamento em si era lindíssimo, espaçoso, era um ótimo lugar para se morar, mas, era uma realidade que talvez ela não poderia aceitar de princípio, mas como terminar com ele depois disso tudo? Ela de fato, não conseguiria, talvez seja porque parte dela estava procurando por um motivo, ou ainda está para mostrar para outra parte que talvez, apenas talvez, ela conseguisse ficar com ele sem sofrer ou colocá-lo em perigo.  - Eu não sei nem o que dizer - disse quebrando o silêncio o encarando novamente, mas dessa vez com outro semblante.

Thomas, eu sou completamente apaixonada por você e isso não é um segredo e eu concordo com o que você disse sobre sentir algo mais forte e diferente nessa relação, pois eu também sinto - dessa vez ela segurou a mão dele - Mas, eu não sei se posso aceitar morar com você, e não que seja ruim o fato de tê-lo todos os dias  em minha vida é mais do que perfeito, porém, você não me conhece direito para isso, estamos saindo há o que° 3 semanas? Nem isso, e ninguém sabe da gente, Curtis iria descobrir se eu passasse a morar aqui e eu sei que é a última coisa que você quer, além de considerar que faz muito tempo desde que eu fiquei com alguém e dessa história você ja sabe - ele e todos do quartel sabia que ela tinha um noivo no passado que morreu em um "acidente" que ela chamava de Lana, mas não ia se deixar levar por pensamentos sombrios, resolveu abrir outro sorriso, se levantando e sentando no colo dele, passou seu braço esquerdo pelo pescoço dele enquanto o direito bagunçava de leve o cabelo, perfeitamente arrumado dele - Eu não quero dizer que eu não quero morar com você ou nada do tipo, eu quero dizer que eu também quero que essa relação dure por muito tempo ainda e eu acho que tínhamos que ir um pouco mais devagar, no quesito casas, mas apenas, unicamente e exclusivamente nesse quesito - disse o beijando, de forma intensa, como a primeira vez que eles se beijaram no quartel - Mas eu vou ficar com essa chave, se não tiver problema algum para você, assim posso te surpreender e quem sabe não posso começar passar mais tempo aqui, mais noites - o olhou com um sorriso malicioso no rosto, voltando a beijá-lo, segurando sua nuca e puxando seu cabelo de leve, arrepiando com os toques dele na cintura dela - E para deixar algo claro aqui, eu jurava que você nunca tinha me notado antes, agora se for pra ser sincera, eu sempre me pegava te olhando em toda oportunidade que aparecia, todo autoritário, andando com a melhor postura que se pode ter, os melhores ternos - dizia e descrevia as cenas, enquanto beijava o pescoço dele, aproveitando para sussurrar as palavras em seu ouvido - Dando ordens nas pessoas, mas admito que passei muito tempo te observando treinar - soltou um pequeno riso - você sempre foi bem sexy.

Ela claramente, já tinha ignorado a decisão de termina com ele, agora ela estava ocupada planejando um futuro. A simples ideia de tê-lo ao seu lado fazia o dia da mulher se animar por inteiro, fazia muito tempo que ela não sentia algo assim, se é que um dia chegou a sentir e por tal sentimento se sentia culpada, visto que ja foi noiva de alguém no passado.



Word: | Tags: | Note:



Thanks Diih!


Katherine Hartmann
Aurores
Galeões : 1851

avatar
Aurores

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Conteúdo patrocinado
Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum